Português (Brasil)

Afinal, devo ou não contratar um síndico profissional?

Afinal, devo ou não contratar um síndico profissional?

Principais deveres de um síndico profissional e a diferença dele para um Síndico morador

Compartilhe este conteúdo:
Por muito tempo, tivemos a imagem do síndico como sendo aquele morador com tempo livre e disposto a encarar todas as demandas do condomínio. Porém, os empreendimentos ficaram cada vez maiores e com um elevado número de moradores, o que gerou a necessidade de que este cargo fosse ocupado por alguém mais capacitado e imparcial. Assim, surge a categoria de Síndicos Profissionais.

Você sabe o que é um Síndico Profissional e quais são os seus deveres?

Este profissional nada mais é que um Gestor (morador ou não) contratado para gerenciar o condomínio. Ele deve apresentar algumas habilidades para ocupar a função como: autocontrole, inteligência emocional, boa comunicação e muita disciplina. Algo que diferencia um Síndico Profissional do Síndico Morador é o conhecimento em importantes áreas da gestão condominial, como:

  • Recursos humanos.
  • Contabilidade.
  • Direito.
  • Finanças.
  • Administração.

É importante dizer que, sim, existem ótimos síndicos moradores que adquiriram essas habilidades ao longo de anos na prática, mas o mundo está em constante mudança. As tecnologias aplicadas a um espaço como um condomínio na área de segurança, por exemplo, estão muito diferentes do que eram 10 anos atrás. Muitos profissionais começaram suas carreiras sendo síndicos dos próprios condomínios onde moravam e, por gostarem do que faziam, decidiram buscar capacitação para melhor exercer a função. Esta é uma profissão ainda não regulamentada no Brasil, mas existem instituições que aplicam cursos de capacitação para aqueles que têm interesse em se profissionalizar.

Pense nessa pessoa como sendo alguém que irá olhar para o seu condomínio como uma empresa, em que todas as partes devem estar em harmonia e produzindo por igual para a satisfação do cliente final, aqui no caso os moradores. Sua rotina se divide entre visitas, onde ele irá fiscalizar se tudo está saindo como o planejado, ter contato com moradores e prestadores de serviço e verificar novas necessidades do espaço e planejamento. Seus deveres são:

  • Coordenar o quadro de funcionários e fiscalizar a qualidade dos serviços prestados.
  • Verificar as necessidades estruturais como obras, então: planejar e acompanhar os trabalhos.
  • Gerir todas as contas, isso inclui acompanhar processos relacionados a inadimplência.
  • Mediar conflitos.
  • Organizar assembleias e levantar possíveis pautas.

As decisões que levam à contratação de um Síndico Profissional podem ser muitas, mas o importante é reconhecer quando esse momento chega para então colocar a casa em ordem. Este, não deixa de ser um desafio e nem sempre encontramos um morador disposto a encarar.

Chamamos atenção também para o fato de que a imparcialidade dessa figura gera um conforto maior para os moradores cobrarem, afinal suas decisões serão sempre pautadas no bem coletivo e ele foi contratado com esta finalidade. A saúde financeira do condomínio é de sua responsabilidade, então será de seu interesse ter transparência em todos os seus passos no que diz respeito ao dinheiro dos moradores.

Em geral, os deveres de um Síndico Profissional são os mesmos de um Síndico Morador, mas essa pessoa terá mais preparo, transparência e capacidade de planejamento para com toda a demanda. Hoje, não é difícil encontrar empresas que oferecem esse tipo de serviço, assim como profissionais independentes. Caso você opte por uma contratação, busque por alguém com bons conhecimentos nas áreas citadas acima, que se expresse bem, com certificados de capacitação e/ou carta de recomendação e, principalmente, afinidade com o setor administrativo.

Resumo feito manualmente

O Síndico profissional é uma pessoa capacitada para exercer a função de síndico. Em geral exerce as mesmas funções que um Síndico morador porém, este tende a ser mais transparente, imparcial, de boa comunicação e muita disciplina.

Autor

Rafael Alves

 

 

 

Compartilhe este conteúdo: