Português (Brasil)

Hall de entrada do meu apartamento, posso decorar?

Hall de entrada do meu apartamento, posso decorar?

Uma dúvida comum entre condôminos.

Compartilhe este conteúdo:

da redação

 

Quem não gosta de estar em um ambiente bonito, bem iluminado e com uma decoração que lhe seja agradável aos olhos?

Todos gostamos. Não é mesmo?

Mas, e quando este ambiente é uma área compartilhada entre diferentes pessoas, como o hall de entrada do apartamento, por exemplo? É possível garantir que os objetos e as cores vão agradar a todos os envolvidos? Até onde eu posso ir com essa decoração sem “invadir” o espaço e o gosto do outro?

São perguntas para um espaço que muitas vezes é pequeno e que passa despercebido aos olhos, mas que para os mais observadores e detalhistas, pode fazer toda a diferença ter ou não uma planta no local, por exemplo.

 

O hall de entrada é o cartão de visitas de um ambiente. Se agradável, pode conferir um ar de harmonia e cuidado para quem passa por ele. Muita gente tem dúvidas com relação a este espaço. 

Área privativa ou área comum?

Podemos dividir o condomínio em áreas privativas e áreas comuns.

Áreas privativas pertencem aos proprietários. Mas isso não é desculpa para um proprietário fazer o que quiser e como quiser em sua área privativa, existem as regras do condomínio e aquilo que diz a legislação.

As áreas comuns pertencem a todos. Assim, um morador não pode decorá-la a seu gosto, e tudo o que for feito nela deve ser deliberado em assembleia. 

Hall de entrada

Apesar da circulação ser restrita aos moradores do andar e aos funcionários do condomínio, decorar esse espaço requer atenção aos regimentos internos, aos cuidados com o bem estar e a segurança de quem passa por ali.

É importante lembrar que a área só é considerada privada quando o elevador para dentro da unidade, fora isso, o espaço é considerado área comum e que portanto, está sujeito às regras do local.

Regras

Para facilitar a vida de todos, o ideal é que as regras estejam na convenção do condomínio. Caso este tema não conste no documento, o síndico deve levá-lo já na próxima assembleia.

Toda e qualquer alteração deve receber o aval de todos os moradores do andar. O indicado é que o síndico peça a anuência dos donos das unidades do andar por escrito, com o máximo de informações de como ficará o espaço após a reforma, quais os custos da obra e como será feito o pagamento.

Ainda que decorado pelos moradores, a manutenção e a limpeza, continua sendo de responsabilidade do condomínio.

Segurança

Antes de pensarmos nas cores das paredes, por exemplo, precisamos nos atentar para a segurança do espaço. Tapetes e móveis grandes podem causar acidentes como tropeções e obstruir a passagem em caso de incêndio, por exemplo.

Placas e itens de segurança, como extintores de incêndio, não podem ser camuflados: pintar ou esconder com outros objetos, por exemplo. Saídas de emergência também merecem atenção, não podem ser trancadas com chaves e nem terem suas passagens obstruídas por objetos, como lixeiras por exemplo.

Dicas

Agora que todos os itens de segurança foram verificados e supondo que todos os moradores do andar concordaram em “dar uma cara nova” ao espaço, é hora de planejar essa decoração.

  • Iluminação: observe a altura do pé direito e garanta que a luz é suficiente para iluminar todo o espaço;

  • Piso: dê preferência por materiais que facilitem a limpeza;

  • Mobiliário: evite móveis grandes que possam obstruir a passagem, espelhos são sempre bem-vindos;

  • Paredes: dê preferência para tons pastéis e cuidado com as estampas se optarem por papel de parede, as cores influenciam diretamente na harmonia do ambiente;

  • Plantas: escolha plantas que se adequem melhor às condições climáticas do local.

Na dúvida, apele para o bom senso. Como dito acima, este espaço apesar de pequeno pode ser um ambiente agradável e mais harmonioso para todos que por ali passam.

Resumo feito manualmente

Quem não gosta de passar por ambientes bonitos e harmoniosos, não é mesmo? E quando falamos da decoração do hall de entrada de apartamentos, muitas dúvidas ainda surgem como por exemplo, se podemos ou não decorar este espaço e quais as regras que devemos seguir.

Autor

Rafael Alves

Compartilhe este conteúdo: