Português (Brasil)

IOT: Internet das coisas em condomínios

IOT: Internet das coisas em condomínios

A tecnologia que promete revolucionar o mercado condominial.

Compartilhe este conteúdo:

 

da redação

O mundo tecnológico evolui num piscar de olhos. Saiu da loja e o seu celular já pode ser considerado ultrapassado, em um ano um novo modelo será lançado com a promessa de ser ainda mais tecnológico que o seu e assim sucessivamente… 

Mas não podemos negar que essa velocidade toda tem nos ajudado em muitos aspectos, evoluímos nos últimos 10 anos em áreas como saúde, alimentação, serviços, entre outros, o que não evoluímos nos últimos 50 anos. 

E dentre essas novas tecnologias tem uma que vem chamando a atenção: IOT - A internet das coisas. Você já ouviu falar?

IoT - Internet da coisas

A IoT consiste na conectividade entre dispositivos e sistemas, capazes de trocar informações entre si. Esses dispositivos possuem sensores que possibilitam a coleta e análise de dados, transformando a tomada de decisão em diversos aspectos e segmentos.

Resumindo: Eles são capazes - quando interligados - de realizar diversas tarefas sem a necessidade da intervenção humana. Um exemplo é a coleta de dados pela internet.

O que é um dispositivo IoT?

Dispositivos IoT são aparelhos digitais com a função de se conectarem à internet com um diferencial: eles têm a capacidade de trocar informações com outros dispositivos.

Ainda que o assunto pareça distante da sua realidade, olhe à sua volta. Vivemos rodeados por tecnologia. Já é possível ver objetos do nosso cotidiano todos unidos por uma ou mais redes de conectividade. Um exemplo bem simples e acessível são as lâmpadas smart, que você pode controlar do seu celular.

Veja outros exemplos de aplicação da IoT.

  • Wearable. São acessórios inteligentes que usamos no corpo, como os relógios inteligentes e fones de ouvido.

  • Para casa. Smart TVs, Amazon Echo, termostatos, geladeiras e fechaduras inteligentes.

  • Saúde. A IoT ajuda na integração com o prontuário de pacientes. 

  • Cidades Inteligentes: A tecnologia pode resolver problemas de congestionamento de tráfego e reduzir o ruído, o crime e a poluição, por exemplo.

  • Carros conectados. 

Condomínios inteligentes

Falamos sobre o que é IoT e sua aplicabilidade, mas e dentro do seu condomínio? Como essa tecnologia pode ser útil e facilitar a vida de moradores e funcionários?

As possibilidades são muitas e pensando que a tecnologia ainda vai evoluir mais nos próximos anos, o seu alcance será ainda maior. Veja alguns exemplos de como a IoT pode ser usada em um condomínio:

  • Segurança: A tecnologia permite o constante monitoramento das áreas comuns do condomínio, a detecção de movimentos suspeitos e a identificação de pessoas que entram e saem do local.

  • Gerenciamento: A tecnologia pode ser uma grande ferramenta para o gerenciamento de áreas comuns por automatizar muitos processos como: prever com antecedência a manutenção de um elevador, gerenciar vagas de garagem, automatizar os sistemas de iluminação e ar-condicionado das áreas comuns, entre outros.

  • Limpeza: A  IoT pode ser útil no controle da limpeza de áreas comuns com o uso de sensores nas latas de lixo para controlar o seu nível e em bueiros para evitar o entupimento em regiões de fácil alagamento.

  • Comunicação e conveniência: Essa tecnologia pode ser uma solução para a comunicação no seu condomínio, exemplos: Portaria virtual, aplicativos para gerenciamento de reservas do salão de festas, interfone conectado à internet, entre outros.

Além de todas essas facilidades que a tecnologia das coisas pode trazer para o seu condomínio, ela vai valorizar o empreendimento, reduzir custos com manutenção e mão de obra, melhorar a qualidade de vida dos moradores e facilitar o trabalho do síndico e do seu time.

Resumo feito manualmente

A IoT - Internet das coisas, consiste na conectividade entre dispositivos e sistemas, capazes de trocar informações entre si. Ela pode ser uma solução inovadora e eficiente para aprimorar a qualidade de vida de todos os envolvidos. Seu uso em condomínios pode reduzir custos a longo prazo, facilitar o gerenciamento por parte do síndico e evitar muitas dores de cabeça entre os moradores.

Autor

Rafael Alves

Compartilhe este conteúdo: