Connect with us

Gestão

Mudanças em jogo: como deve acontecer a troca de gestão no condomínio

A troca de gestão no condomínio, seja de síndico ou de administradora, exige que alguns procedimentos sejam seguidos à risca para a mudança ser transparente e sossegada. Saiba aqui quais são!

Publicado

em

A troca de gestão no condomínio, seja de síndico ou da administradora, exige que alguns procedimentos sejam seguidos

 

A troca de gestão no condomínio, exige que alguns procedimentos sejam seguidos à risca para a mudança ser transparente e sossegada. Há questões jurídicas e burocráticas que envolvem a transição e demandam atenção. Saiba quais são esses pontos neste artigo.

 

Transparência é a palavra-chave da troca de gestão no condomínio

 

O caminho mais sadio para a troca de gestão no condomínio ocorrer bem é ser transparente e deixar qualquer desavença de lado. O responsável que está saindo do cargo tem a obrigação de passar as informações, desde documentos e patrimônio físico de sua gestão, até problemas na estrutura (hidráulica, elétrica ou estrutural), os papéis e modos dos colaboradores, adversidades entre vizinhos e pendências de pagamentos.

Também não devem ficar de fora do repasse a história administrativa, contábil e fiscal do patrimônio. Tudo isso para a continuidade da gestão ser benéfica para todos os moradores. Neste momento, deve-se ter em mente que o condomínio é um local de todos e que os prejuízos e danos precisam ser acertados para melhor vivência e aproveitamento do local.

 

Troca de gestão de síndicos: documentos necessários

 

Acima citamos alguns documentos básicos que fazem a troca de gestão ser mais transparente. Aqui separamos uma lista completa de todos eles. Vale ressaltar que o síndico que está passando o cargo não pode reter com ele nenhum documento ou patrimônio do condomínio.

Abaixo confira a lista completa:

 

  • Dados completos do administrador;
  • Período da gestão;
  • Forma de remuneração;
  • Ata da assembleia assinada pelo presidente e secretário;
  • Regimento interno;
  • Chaves do prédio;
  • Pasta de prestações de contas;
  • Contratos com fornecedores;
  • Livros e relação de inventário patrimonial;
  • Apólices de Seguro;
  • Cartão de CNPJ;
  • Folhas de Ponto de Funcionários;
  • Laudos PCMSO/PPRA;
  • Livro de Inspeção do Trabalho;
  • Escritura de Convenção;
  • Regulamento Interno; Livros de Atas de assembleia;
  • Contratos (manutenção etc);
  • Pastas de Prestações de Contas;
  • Planilhas de Orçamentos;
  • Plantas do Condomínio;
  • Certificados Operacionais e Ocupacionais (PPRA, PCMSO, PDSA-Proteção de surtos atmosféricos, Higienização de Reservatórios de Água, Desobstrução e limpeza de Caixas de Gordura, Desinsetização);
  • Comprovantes de pagamentos efetuados (notas fiscais);
  • Carta protocolada com a relação de documentos que estão sendo entregues.

 

Troca de gestão de administradora: documentos necessários

Quando o assunto é a troca de gestão de administradora, é responsabilidade da empresa atual entregar os documentos que provem sua administração, sendo eles:

 

  • Guias de recolhimento e pagamento de encargos sociais;
  • Benefícios Trabalhistas e Tributos;
  • Comprovantes de Pagamentos de Contas;
  • Circulares entregues;
  • Cartas de comunicação;
  • Cadastro atualizado de condôminos, com respectivos endereços e frações ideais;
  • Livro de Atas;
  • Cartão do CNPJ;
  • Convenção Condominial e Especificação;
  • Relatório da Última Emissão de Boletos;
  • Livro de Registro de Empregados e Balancetes

 

Troca de gestão de administradora: procedimentos

 

Os documentos citados acima devem ser obrigatoriamente entregues à nova administradora do condomínio. Caso não sejam entregues, a atual administradora pode notificar a antiga e exigir um prazo para ceder às informações e seguir com seu trabalho. Se ainda assim houver resistência, há uma pena de ação de busca e apreensão que pode ser estabelecida.

Um dos principais motivos que podem fazer com que uma antiga administradora queira reter os documentos são às irregularidades que ela cometeu em sua gestão. Sendo assim, se existe essa suspeita, o ideal é buscar uma auditoria externa para verificar e, depois, deixar a nova administradora tomar posse.

 

3 características de uma troca de gestão de sucesso

 

1) Sem interferências

Uma transição de gestão no condomínio, seja de síndico ou de administradora, não interfere na vida dos moradores e prestadores de serviço. Isso acontece quando eles mal notam a mudança e não passam por bruscas interrupções no cotidiano.

 

2) Pacificidade

Assim como em uma empresa com sua troca de chefes e presidentes, ou até mesmo mandatos políticos como de Prefeitos ou Governadores, a pacificidade é uma ótima característica para uma troca de gestão de sucesso, permitindo com que o novo líder inicie seu trabalho de forma mais rápida e eficaz.

 

3) Preparo

O novo gestor que assumir, para fazer isso com maestria, precisa se preparar e conhecer onde está pisando. Para isso, é necessário informar-se sobre a Convenção e o Regimento Interno, atas dos últimos anos e ler todos os documentos que lhe forem entregues. Assim, ele terá propriedade para assumir o patrimônio.

Portal de noticias, artigos e apoio para Síndico e Administradoras, bem como Cursos e Eventos no segmento condominial. Realizamos e facilitamos a interação entre Síndicos, Administradoras, profissionais do mercado condominial e Empresas do segmento. Colaboradores: - Elizabete Letielas - Rafael Alves

Continue Reading
Click to comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2021 Sindiconline . Todos os direitos reservados